wing chun - sobre o estilo

O estilo Wing Chun

img 318 px

Siu Nim Tau

É o primeiro kuen zeoi, forma de punho do estilo. Siu Nim Tau quer dizer "uma pequena idéia". O siu nim tau contém todas as técnicas do estilo, é o abecedário do estilo wing chun. Os antigos mestres costumam afirmar que o siu nim tau é a forma mais difícil de ser compreendida pelo iniciante. É um kuen zeoi para geração de energia e deve ser praticado sem força bruta. 

 

A autêntica energia provém do processo de relaxamento dos músculos, tendões e juntas; a força incorretamente usada impede a compreensão, expressão, veiculação da energia por parte do aluno. 'O novato não deve fazer força'. 

 

Cam Kiu

É o segundo kuen zeoi do estilo e significa "buscar e destruir a ponte" do adversário como: braços e pernas. Complementa a primeira forma e exige mais força física e potência interna. Cam Kiu é um kuen zeoi mais movimentado com andadas, giros e chutes. Deve ser praticado com energia, com vigor. 

 

Com a prática constante da segunda forma o estudante de Wing Chun aprende como equilibrar a energia vital denominada Chi (Hei em cantonês, e Qi em mandarim).

 

Biu Zi

É a terceira forma do wing chun. O termo Biu Zi pode ser traduzido como "dedos voadores", ou ainda “dedos como ponteiro”. Seus movimentos mostram as características da serpente e da garça. Antigamente o biu zi era considerado secreto, permanecendo apenas entre os discípulos mais próximos do mestre. O Biu Zi representa o alto grau no wing chun, permite que o praticante transmute sua energia e use-a de acordo com suas necessidades. 

 

Com as três formas (SIU NIM TAU, CAM KIU e BIU ZI), é possível ao aluno-praticante compor alternativas diversas de ataque e defesa. A posição do lutador é sempre frente a frente. Os ataques são rápidos e precisos; sempre desferidos a curta distância, com potência e explosão. 

 

Muk Zong

Há ainda, além de outros tantos recursos de prática, um treinamento avançado, utilizando como adversário o chamado “boneco de madeira” ou Muk Zong, onde se aplicam todos os golpes aprendidos nas três formas. A prática no Muk Zong aumenta a resistência dos braços, pernas e corpo de um modo geral. Faz-se necessário o uso de um ‘preparo medicinal especial’ para evitar danos externos e internos. Cada mestre orienta seu discípulo na manipulação desses preparos terapêuticos.

 

O Muk Zong auxilia na apuração de energia, personaliza a expressão de cada praticante, e serve para requintar as técnicas aprendidas anteriormente. 

 

Luk Dim Bun Gwan

Após este estágio acima mencionado, há o aprendizado do bastão longo - Luk Dim Bun Gwan - e da faca curta - Baat Zaam Dou -, armas originadas dos artistas de óperas chinesas, que viajavam e moravam em barcos. 

 

Uma vez refinado o CHI ou QI (Hei em cantonese) o indivíduo estará apto a projetá-lo, seja por meio de um bastão - Luk Dim Bun Gwan -, de um cabo de vassoura ou de um exemplar de revista. 

 

Baat Zaam Dou

A Baat Zaam Dou representa o mais alto nível do estilo wing chun, é a síntese da energia. 

Neste estágio, o indivíduo adquire a verdadeira expressão do wing chun kung fu, a essência da arte: estratégia perceptiva, espaço, momento oportuno e energia.